20 janeiro 2016

Jurassic Park | Michael Crichton







"Vivemos em um mundo assustador, de coisas prontas. [...] Ninguém mais pensa nas coisas que chegam prontas. Não é incrível? Na sociedade de informação, ninguém mais pensa. Esperávamos acabar com o papel, mas na verdade acabamos com o pensamento."







AUTOR: John Michael Crichton (1942-2008) foi um escritor e produtor de filmes e televisão norte-americano. Crichton era formado em medicina e por isso seus livros contêm muitos termos médicos e científicos. O mais famoso deles é Jurassic Park (1990).

DO QUE SE TRATA: É a mesma história do filme. É construído um parque com dinossauros de verdade e os animais acabam saindo de controle.

OPINIÃO: Apesar de já ter assistido e amado à todos os filmes, o livro conseguiu me surpreender. Apesar de a história ser a mesma que já conhecemos, ela é abordada por um ângulo mais biológico, o que a torna mais crível e interessante que o filme. A ciência é explicada de maneira que qualquer pessoa pode entender, mas também há cenas de suspense e ação. E o desfecho... simplesmente amei! Bem, dito isso, acho que qualquer fã dos filmes deveria ler. É um ótimo livro e está entre os melhores que li esse ano.


AVALIAÇÃO:

ONDE COMPRAR: Submarino, Americanas


Gostou? Compartilhe com os amigos. Discorda? Então deixe sua opinião aqui nos comentários! ;)

4 comentários:

  1. Oi! Jurassic Park é muito bom! Não achei muito parecido com o filme e a edição é linda (mas não tendo orelhas o livro fica mais frágil, na minha edição, a pontinha da capa está danificada).
    E concordo quando diz que é ciência é explicada pra todo mundo entender, mas as explicações sobre lei de murphy foram meio ZzzZZ. Ótimo post!

    blogleitorit.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oii e obrigada!^^

      Eu gostei das explicações sobre a lei de murphy, mesmo odiando matemática. Hahaha E quanto a não ter orelhas, também não acho muito legal, mas nada que me impeça de comprar o livro.

      Excluir
  2. Ângulo mais biológico e menos Hollywoodiano, onde Hammond não é aquele velhinho simpático e fofo semelhante ao Papai Noel e o Dr. Grant não é tão heroico quanto vemos no filme (mesmo assim ainda o amo ardentemente).
    Amo esse livro, está na minha lista de favoritos.
    E cá entre nós, ele tem uma das melhores descrições de retirada de entranhas que eu já li, entre outras descrições muito boas também, vale ressaltar o cheiro de podre e carniça que os dinossauros liberam, achei deveras genial essa questão olfativa.
    Desfecho fantástico...era isso ahahahahahaha

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Poxa Andressa, obrigada pela contribuição. Continue comentando sobre seus amores ardentes por aqui sempre que quiser! Hahaha
      Pretendo reler o Nome do Vento e postar aqui, aí tu vai poder comentar o quanto quiser sobre o teu amor ardente pelo Elodin. #vemmedarumnome

      Excluir